De vilão a mocinho: ovo tem nutrientes essenciais à saúde

Para evitar contaminação, o ovo deve ser consumido com a gema totalmente cozida a temperaturas acima de 65 graus

O ovo deve ser consumido com a gema totalmente cozida a temperaturas acima de 65 graus

Durante muitas décadas o ovo carregou a fama de inimigo número um da saúde. Seu consumo foi associado ao aumento da incidência de doenças cardiovasculares, como infarto e derrame. Com o passar dos anos, estudos apontaram que, se consumido corretamente, o alimento pode ser um forte aliado da saúde. Além da nutrição básica, o ovo traz alguns benefícios como o auxílio na recuperação de tecidos, aumento e manutenção de força muscular, além de prevenir doenças.

“O ovo é rico em proteínas de alto valor biológico, vitaminas do complexo B, A, E, K, minerais como ferro, fósforo, selênio e zinco, carotenóides como a luteína e zeaxantina.

É também fonte de colina, um importante componente do cérebro. É um alimento completo, que apresenta a maior quantidade de nutrientes essenciais ao organismo humano, com menor conteúdo calórico, se comparado a outras fontes proteicas”, diz a coordenadora do curso de Nutrição da Universidade Filadélfia (Unifil), Nilcéia Godoy Mendes.

Ela explica que o consumo do ovo – tanto clara quanto gema – praticamente não altera os níveis de colesterol. Segundo a coordenadora, as doenças cardiovasculares estão mais relacionadas com as complicações hereditárias e maus hábitos alimentares – como ingerir gorduras saturadas, principalmente a trans – do que com os níveis de colesterol presentes nos ovos. Assim, é possível consumir um ou até dois ovos por dia, sem que isso afete a concentração de colesterol no sangue.

Outra observação feita por Nilcéia diz respeito às propriedades nutricionais presentes na casca do ovo, como o cálcio. “A casca do alimento, se triturada, pode ser aproveitada e consumida em forma de farinha. Lave-as muito bem e deixe de molho em 1 litro de água com 1 colher de sopa de água sanitária para matar os microorganismos. Coloque as cascas para secar ao sol ou torre-as no forno por duas horas. Triture as cascas no processador ou no liquidificador. Depois de trituradas, peneire-as. Guarde o pó mais fino em um vidro”, ensina. Ela indica a ingestão de uma colher de chá rasa de pó de casca de ovo por dia.

Entre as propriedades benéficas do alimento, destaca-se a clara como a melhor fonte de proteínas para atletas. Para os que praticam esportes é importante consumir uma quantidade suficiente de proteínas, pois elas otimizam a reposta metabólica do corpo. A albumina, proteína presente na clara do ovo, é um dos elementos mais essenciais para a reconstrução e renovação dos tecidos do organismo.

Salmonella

Entretanto, a nutricionista alerta para uma prática nada saudável, comum entre os atletas: a ingestão de claras cruas, o que oferece grande risco de contaminação pela bactéria Salmonella.

Desde 1999, dados do Ministério da Saúde apontam a Salmonella como a principal bactéria causadora de surtos alimentares no Brasil. A bactéria vive nos intestinos das aves e a contaminação, em geral, ocorre na postura do ovo, por rachaduras na casca. Ocorre que, uma entre as cerca de 2 500 variedades da Salmonella, atinge o ovo enquanto ele está em formação. É, portanto, impossível distinguir um ovo sadio de outro infectado. “Neste caso, devemos consumir somente ovos cozidos e com a gema totalmente cozida. Isto porque a bactéria é inativada em temperaturas acima de 65 graus”, orienta a coordenadora.

Além disso, nunca se deve deixar o alimento na porta da geladeira, já que quando ela é aberta, a temperatura interna se altera mais facilmente e a Salmonella, se estiver presente no alimento, consegue se multiplicar mais facilmente.

Artigos relacionados

Comentários